<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5329291\x26blogName\x3dNo+Surprises\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://nosurprise.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://nosurprise.blogspot.com/\x26vt\x3d-7886794234534277740', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>


sábado, outubro 30, 2004
(post velho, do meu tempo no exílio em São Pedro)

Descobri algo ótemo. O templo da auto-estima. O Consolador-mor. O lugar mais bizarro e diversificado do mundo.
Codinome Praia.
Sim, sim. A praia é o melhor lugar para melhorar a auto-estima. Eu, simples branquelo magrelo de Friburgo, me achei o bonitão lá. um formigueiro de gente, muito calor, biquinis e sungas para todos os lados, corpos magros (mais que o meu, veja só), brancos, disformes, feios, gigantescos, protuberantes. De todos os tipos e tamanhos.
Se quer se achar alguém na vida, more em cidade praiana. Ficará queimado, magro (mas não tanto), quem sabe até bonito. Ao menos esbelto. E, posso te garantir, se se sentir deprimido, é só caminhar um pouco até a praia e verificar as figuras e gringos que aparecem por lá, e se sentir o máximo novamente.

Pensando bem, acho até que sou bonitinho, sabe.
domingo, outubro 24, 2004
"O amor é o carinho,
é o espinho que não se vê em cada flor.
É a vida quando
chega sangrando, aberta em pétalas de amor."
Sabem, vocês sabem sim.
Não ando postando muito.
Não ando com muita criatividade, acho que ela vai se esvaindo.
Mas não liguem, ela volta.
Só quando eu quiser, é claro.

Daqui a alguns dias eu volto com as estorinhas, sim?
Ando meio confuso e atarefado.
domingo, outubro 17, 2004
Pessoal, venho aqui comunicar-lhes que estou fazendo um teste de blog, com o Àlvaro. Chama-se piloto, por enquanto. Vão e dêem uma visitinha. Obrigado.
sábado, outubro 16, 2004
De volta de meu exílio, em São Pedro da Aldeia, tenho várias resoluções de vida.

Ô lugarzinho bom aquele. Conforto, quarto exclusivo pra mim, tv, escrivaninha, banheiro, três (isso mesmo, três) camas pra mim, calorzinho agradável, ventilador, uma praia maravilhosa, o melhor pôr do sol que já vi, um ótimo livro pra ler, um frigobar, Coca-Cola até dar gastrite e, o melhor de tudo, privacidade.
Ventiladores de teto matam mosquitos, ou pelo menos espantam.
Tios bêbados dão uma ótima diversão.
Não nasci pra nadar, muito menos pra ir à praia.
Minha família é um saco.
Registros de chuveiro dão choque.
Minha insônia não presta.
A pior coisa é o estado do nosso querido amigo Bilau quando se volta da praia. Ui!
Meu cérebro tem uma estranha e original maneira de pensar, o que não significa que é uma boa linha de pensamento.
Eu poderia viver de Coldplay e White Stripes, se eu quisesse.
Preciso de alguém pra amar (alguém se habilita?).
Sem contar que meu querido (um dos únicos queridos) Tio Jadir faz umas piadas horrendas, e a mulher dele é maluca.

Acho que se eu aplicar tudo isso no banco, ainda ganho uma moedinha. Mas acho que guardarei essas excelentes e solitárias recordações pra mim. E espero viajar ou receber alguém aqui o mais cedo possível. É ótimo descobrir coisas como fiz.
E ô lugar lindo, nossasenhora!
"Oh yeah your skin and bones
turn into something beautiful,
And you know
For you I'd bleed myself dry,
For you I'd bleed myself dry..."