<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5329291\x26blogName\x3dNo+Surprises\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://nosurprise.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://nosurprise.blogspot.com/\x26vt\x3d-7886794234534277740', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>


terça-feira, fevereiro 27, 2007
thanks to Mr. Plück, ou qualquer que seja o nome, que me ajudou com o trequinho de sumir com a barra do blogger.

e não é que funciona mesmo?
quinta-feira, fevereiro 22, 2007
Scorcese diz:
nunca gostei mt de comedia
so american pie

luciano. diz:
hauhuahuahuahua, se mata


depois dessa eu concluo o seguinte: preciso de amigos novos.
quarta-feira, fevereiro 21, 2007

sobre a vida como a quero

quero uma casa grande, não necessariamente espaçosa, mas grande, com vários cômodos. vários ambientes diferentes, um para cada inspiração, um para cada sentimento, todos ligados por um único corredor. quero paredes de cores diferentes, quero um quarto com rabiscos meus por toda parte.
quero bastante dinheiro. não, não preciso de muito luxo, mas preciso de dinheiro pra poder fazer minhas artes. pra poder andar na rua e tomar um sorvete se der vontade, pra comprar pincéis, pra comprar tipos diferentes de papel, novas canetas, muitos tecidos e solados de borracha. diferentes tipos de café, chá, suco, bebidas alcoólicas em geral, não para ficar bêbado, mas para poder sentir-me diferente de tempos em tempos.
quero um guarda-roupa imenso. um set de roupas pra cada ocasião, pra cada sentimento. uma roupa de corredor dos anos 70, uma de tenista (estilo Richie Tenenbaum), uma de punk-rocker, uma de elvis, uma de gente elegante e um terno. varios chapéus, sapatos, tênis e sandálias. sapatos para sapatear.
quero viver sempre a 15 graus, um sol que vai e vem e chuvas espaçadas. noite? acho que não seria necessária, se o mundo calasse a boca por umas 3 horas por dia. escreveria livros, faria fotografias na luz do pôr-do-sol. chamava os amigos pra falar besteira, dançar, ver filmes e jogar videogame.
um emprego bem liberal, uma vida bem liberal, uma política bem liberal. uma companheira pra levantar com uma camisa minha cobrindo o corpo todo, toda descabelada, de manhã, com uma caneca na mão, olhos semi-abertos e pantufas de guaxinim, falando com aquela voz de sono que não quer ir trabalhar, não quer que eu vá trabalhar, que é preu ligar pro trabalho e dizer que tive intoxicação alimentar e não vou poder trabalhar hoje. e eu obedeço, porque ela merece obediência.
quero um quarto à prova de som. todo preto, com uma bateria, uma guitarra, um baixo, um teclado, alguns sintetizadores, um aparelho de som bem potente e uma cama. todos os cds do radiohead, do muse, de todas as bandas que eu gostei desde quando me entendo por gente, em ordem cronológica, em lp's de vinil branco, em estantes, estilo Alta Fidelidade.
quero a felicidade pequena e as tristezas amenas. nada mais.

quero viver mais.
terça-feira, fevereiro 20, 2007
preciso de um papagaio que me ouça, me responda e não me entenda.
terça-feira, fevereiro 13, 2007

needle in the hay

mas a maior merda que é parte de mim é exatamente a merda de não pertencer a lugar nenhum.
acho que vou reativar o Trésor, pra quem sabe do que eu tô falando.

nunca achei essa música tão perfeita.
segunda-feira, fevereiro 05, 2007
é tão estranho ter tanta coisa pra falar mas não conseguir dizer uma palavra.